Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Desenvolvimento e avaliação de uma medida com base em Smartphones para ritmos sociais do Transtorno Bipolar

Autonotificação e monitoramento passivo através do aplicativo de smartphone MoodRhythm

O automonitoramento regular pode ser um desafio em doenças que duram por toda a vida, como o Transtorno Bipolar.1 Pesquisadores americanos publicaram um relatório sobre o uso de um novo aplicativo de smartphone para facilitar o autorrastreamento de processos psicológicos em pessoas com Transtorno Bipolar.1

O humor e a atividade são as principais construções do Transtorno Bipolar.1

Os meios atuais para medir os processos psicológicos dinâmicos em pessoas com Transtornos Bipolares dependem de medidas autorrelatadas que, como os pesquisadores explicam, possui limitações devido à persistência necessária pelos participantes.1 Isto reduz a profundidade e o período de tempo pelo qual os dados podem ser coletados.1 Além disso, as limitações ao uso de rastreamento baseado em papel - por exemplo, preenchimento incompleto ou impreciso devido à recordação retrospectiva - também pode dificultar avaliações dos médicos dos ritmos sociais dos pacientes.1

Os smartphones são onipresentes e equipados com sensores que são capazes de medir processos psicológicos em tempo real, durante maiores períodos de tempo.1 Assim, o advento dos smartphones possibilita mais oportunidades de rastreamento de sintomas, fornecimento de feedback e intervenções.1

Os principais parâmetros no Transtorno Bipolar são bem ajustados para detecção através de sensores nos smartphones, e incluem:1

  • Atividade de sono-vigília;
  • Atividade mental;
  • Natureza e frequência de interação social.

O uso da tecnologia dos smartphones não apenas possibilita o preenchimento de aspectos autorrelatados do Transtorno Bipolar, mas também permite a detecção automática de diversos outros parâmetros relevantes, sem a necessidade de entrada manual pelo paciente.1

Desenho e avaliação do MoodRhythm

Os investigadores, com a colaboração de pacientes com Transtorno Bipolar, pesquisadores acadêmicos, psicólogos pesquisadores e clínicos, desenvolveram o aplicativo MoodRhythm.1 Esse aplicativo incorpora elementos autorrelatados da terapia de ritmos social e interpessoal existente em combinação com novas entradas dos sensores do smartphone.1

O MoodRhythm pode acompanhar cinco atividades diárias, como levantar da cama, começar o dia e jantar.1 Além disso, os usuários podem adicionar eventos personalizados para ajudar a manter seu ritmo diário.1 Os objetivos diários podem ser definidos pelo paciente, e o aplicativo pode rastrear o quão próximo dos objetivos ele está.1

O novo aplicativo também pode coletar passiva e continuamente informações sobre ritmos sociais, interação social e outros aspectos relevantes da vida diária, através de sensores do smartphone, incluindo microfone, geolocalizador, sensor de luz, acelerômetro e eventos como desbloqueio de tela e carregamento da bateria.1

Conclusões

De modo geral, os investigadores concluíram que esta abordagem supera muitas das limitações associadas com instrumentos de papel.1 Além disso, eles sugerem que, in situ, as intervenções em tempo real poderiam ser apoiadas pela utilização contínua de dados de detecção.1 O aplicativo  tem o potencial de monitorar o Transtorno Bipolar de longo prazo em diferentes fases da doença.1 Contudo, a consideração de como os dados devem ser processados e apresentados aos médicos e pacientes irá determinar a eficácia das novas tecnologias.1

  • Referências

    1. MATTHEWS, M. et al. Development and Evaluation of a Smartphone-Based Measure of Social Rhythms for Bipolar Disorder. Assessment, 23(4):472-483, 2016.