Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Um estudo nacional investigando o progresso da prevenção da epilepsia nos últimos 40 anos

A prevenção da epilepsia de início recente é uma importante necessidade não atendida no tratamento medicamentoso da epilepsia e representa um importante problema de saúde pública.1 Um estudo prévio mostrou que entre 1995 e 2002, a incidência de epilepsia de início recente na Dinamarca permaneceu estável entre a maioria das faixas etárias; contudo, foi observado um aumento da incidência, ao longo do tempo, em pessoas > 60 anos de idade.1

Esse estudo teve como objetivo investigar se houve algum progresso na prevenção da epilepsia de início recente na Finlândia nos últimos 40 anos.1

Utilizando dados do Registro Nacional Finlandês de Alta Hospitalar, 5,04 milhões de pessoas foram acompanhadas entre 1973 e 2013. A idade média desses pacientes foi de 45 anos para os homens e de 46 anos para as mulheres.1 Dentre esses, 100.792 foram diagnosticados com epilepsia, definida como a ocorrência de ≥2 convulsões não provocadas; 47% desses tiveram epilepsia focal.1

Entre 1973 e 2013, a incidência de epilepsia na população idosa aumentou significativamente de 57 para 217 por 100.000.1

Houve um aumento significativo na incidência de epilepsia entre as pessoas ≥ 65 anos, de 57 por 100.000 em 1973 para 217 por 100.000 em 2013.1 Contudo, nas pessoas < 65 anos de idade, a incidência se manteve inalterada.1

Os autores concluíram que o aumento na incidência de epilepsia de início recente nos pacientes idosos pode ser causado por uma mudança nas características demográficas da Finlândia, com mais pessoas ≥ 65 anos na população finlandesa e um aumento na incidência de acidente vascular cerebral e demência entre os idosos.1
 

Não foi observada alteração na incidência de epilepsia em pessoas <65 anos de idade.1

Os autores destacam que a incidência inalterada de epilepsia em pacientes < 65 anos de idade indicou que, ao longo dos últimos 40 anos, não houve melhora significativa na prevenção de epilepsia de início recente em qualquer faixa etária.1 Portanto, continua havendo uma necessidade não atendida para o desenvolvimento de novos medicamentos para melhorar a prevenção da epilepsia.1

  • 1. SILLANPÄÄ, M. et al. Efforts in epilepsy prevention in the last 40 years: lessons from a large nationwide study. JAMA Neurol, 73(4):390-5, 2016.