Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

A epilepsia está associada com qualidade do sono prejudicada, insônia e sonolência 

Transtornos do sono são comumente associados com a Epilepsia, reduzindo a qualidade de vida dos pacientes com esta doença.1 Pesquisadores coreanos conduziram um estudo transversal e recrutaram pacientes com idade ≥ 20 anos com epilepsia focal ou generalizada em uma clínica de epilepsia em Seoul entre julho de 2012 e junho de 2013.1

180 pacientes com epilepsia participaram do estudo e responderam questionários estruturados sobre sono e fatores relacionados à epilepsia, incluindo:1

  • Escala de Sonolência de Epworth para determinar sonolência diurna excessiva;
  • Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh;
  • Índice de Gravidade de Insônia;
  • Escala de Ansiedade de Goldberg;
  • Questionário de Saúde do Paciente.

A maioria dos indivíduos (76,1%) tinham epilepsia focal, 8,9% dos indivíduos possuíam epilepsia generalizada e 15% tinham epilepsia não classificada.1

O grupo controle foi composto por 2836 pessoas da população geral que participaram de uma pesquisa de saúde e entrevista presencial em 2010.1

Pacientes epilépticos relataram o dobro de transtornos do sono, quando comparados ao grupo controle. (53,3% vs. 25,5%; p<0,001).1

Em detalhes, as pessoas com epilepsia tiveram uma maior frequência de sono de má qualidade, sonolência diurna excessiva e insônia do que a população geral (p<0,001 para todos).1

Após ajuste para outras covariáveis, como humor depressivo e ansiedade, a epilepsia continuou sendo significativamente associada com a má qualidade do sono (odds ratio [OR] 3,52; intervalo de confiança [IC] de 95% 2,45-5,05), sonolência diurna excessiva (OR 2,10; IC 95% 1,41–3,12) e insônia (OR 5,91; IC 95% 3,43–10,16).1

A sonolência diurna excessiva foi quase duas vezes mais comum em pessoas com epilepsia do que nos controles (21,7% vs. 11,9%; p<0,001).1

As associações globais de humor depressivo e ansiedade com problemas do sono foram mais fortes que as de epilepsia.Contudo, o número de medicamentos antiepilépticos e tipo de epilepsia não foram associados com transtornos do sono.1

Os autores destacaram a importância da triagem para problemas de sono nos pacientes com epilepsia para facilitar a intervenção precoce.Porém, são necessárias mais pesquisas sobre as potenciais implicações terapêuticas da interação entre a melhora do sono e o controle das convulsões.1

  • 1. IM, HJ. et al. Associations of impaired sleep quality, insomnia, and sleepiness with epilepsy: A questionnaire-based case-control study. Epilepsy Behav, 57(Pt A):55–59, 2016.