Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Hepatite C e Coinfecção com HIV

A doença hepática relacionada ao HCV progride mais rapidamente em pessoas infectadas com HIV. Pacientes coinfectados HIV-HCV têm um risco três vezes maior de progressão para cirrose ou doença hepática descompensada que os pacientes monoinfectados com HCV. O tratamento do HIV e do HCV são, portanto, uma prioridade para as pessoas coinfectadas.1

Segundo o PCDT para manejo da infecção pelo HIV em adultos, é aconselhável iniciar primeiro o tratamento para o HIV e atingir a supressão virológica antes de iniciar o tratamento do HCV, especialmente em pacientes com imunossupressão grave.1

Os pacientes coinfectados devem receber esquemas de tratamento para HCV compatíveis com a TARV em uso. A recomendação do uso de sofosbuvir + daclatasvir como esquema de tratamento preferencial para pacientes coinfectados com HIV se deve ao fato de apresentar uma menor probabilidade de interações medicamentosas com o antirretroviral, quando comparado ao esquema com simeprevir ou à associação 3D (ombitasvir, veruprevir/ritonavir e dasabuvir).1

Nos casos em que interações medicamentosas são prováveis e de contraindicação ou intolerância, recomenda-se avaliar possíveis substituições da TARV antes do início da terapia contra o HCV.¹

 

  • Substituição de esquemas de TARV considerando o início do tratamento para hepatite C

    Para pacientes em uso de efavirenz que irão iniciar o tratamento para hepatite C, pode-se avaliar a substituição para DTG em casos de interações medicamentosas prováveis, contraindicações ou intolerância. Confira abaixo as recomendações para substituição da TARV:¹

    Adaptado a partir da referência 1

  • Ajuste de dose

    Segundo o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em adultos, dolutegravir (DTG) pode ser utilizado em pacientes coinfectados HIV-HCV juntamente com daclatasvir na dose de 60 mg/dia (1 comprimido). Confira abaixo as indicações de ajustes da dose de daclatasvir de acordo com a TARV em uso:1

    Adaptado a partir da referência 1

  • Quando usar a associação ombitasvir, veruprevir-ritonavir e dasabuvir (3D)

    O uso do esquema 3D está recomendado para pacientes HCV genótipo 1, coinfectados pelo HIV, apenas na presença de doença renal avançada.¹

    O esquema contendo a associação 3D só poderá ser utilizado em associação com ARV que não apresentem interações com os fármacos ombitasvir, veruprevir/ritonavir e dasabuvir, sendo eles: ATV, DTG, RAL, 3TC, TDF ou ENF/T20.¹

Para mais informações, clique aqui e confira na íntegra o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas – PCDT – para manejo da infecção pelo HIV em adultos.

  • Referências

    1. BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da infecção pelo HIV em adultos. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2013/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-manejo-da-infeccao-pelo-hiv-em-adultos>. Acesso em 4 out. 2017.