Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

  

Guia de interações medicamentosas comuns associadas aos TARV

  

  

*Este material é baseado nas interações medicamentosas apresentadas no site HIV Drug Interactions (http://www.hiv-druginteractions.org/) de propriedade da Universidade de Liverpool, no dia 05 de março de 2020. Visto que o conteúdo dessa página sofre atualizações, ­fica sob responsabilidade do(a) médico(a) e farmacêutico(a) checar as informações no site em caso de atualização.  

    
  • Minibula Tivicay

      

    Tivicay® (dolutegravir sódico). Indicação: tratamento da infecção pelo HIV em combinação com outros agentes antirretrovirais em adultos e crianças acima de 12 anos, com peso mínimo de 40 kg. Contraindicações: em combinação com medicamentos que possuem janelas terapêuticas estreitas e que sejam substratos do OCT2, incluindo dofetilida, pilsicainida ou fampridina; e em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dolutegravir ou a algum dos excipientes. Precauções e advertências: Relato de reações de hipersensibilidade aos inibidores da integrase, inclusive ao Tivicay®. Interrompa imediatamente o uso caso surjam sinais ou sintomas: erupção cutânea intensa ou acompanhada de febre, mal-estar geral, fadiga, dor muscular ou articular, vesículas, lesões orais, conjuntivite, edema facial, hepatite, eosinofilia, angioedema. Deve-se monitorar o estado clínico, inclusive as aminotransferases hepáticas, e iniciar tratamento adequado. Pacientes podem apresentar uma reação inflamatória e infecções oportunistas residuais ou assintomáticas que causam distúrbios clínicos graves ou agravamento dos sintomas (IRIS). Distúrbios autoimunes podem ocorrer (doença de Graves, polimiosite e síndrome de Guillain-Barré) nos casos de reconstituição imune. O tempo até o início é mais variável e, às vezes, tem apresentação atípica. A elevação de marcadores bioquímicos da função hepática compatível com a síndrome de reconstituição imune foi observada em alguns pacientes coinfectados por hepatite B e/ou C no início do tratamento com Tivicay®. Recomenda-se o monitoramento bioquímico da função hepática. Cuidado especial em iniciar ou manter tratamento efetivo da hepatite B ao instituir a terapia com dolutegravir nos pacientes coinfectados por hepatite B. Não deve ser coadministrado com antiácidos que contenham cátions polivalentes. Recomenda-se a administração duas horas antes ou seis horas depois desses medicamentos. Tivicay® pode aumentar a concentração de metformina. Os pacientes devem ser monitorados durante o tratamento e pode ser necessário ajustar a dose de metformina. Gravidez e Lactação: Categoria D de risco. Tivicay® deve ser usado durante a gravidez somente se o benefício esperado justificar o risco potencial para o feto. As mulheres em idade fértil devem submeter-se a um teste de gravidez antes do início do tratamento com Tivicay® e devem usar contracepção eficaz ao longo do tratamento. Defeitos do tubo neural ocorrem nas primeiras 4 semanas de desenvolvimento fetal (quando os tubos neurais são selados). Esse risco potencial preocuparia mulheres expostas ao dolutegravir no momento da concepção e no início da gravidez. Portanto, devido ao risco potencial de defeitos do tubo neural, um tratamento alternativo ao dolutegravir deve ser considerado no momento da concepção até o primeiro trimestre. Uma avaliação benefício-risco deve considerar fatores como viabilidade de mudança, tolerabilidade, capacidade de manter a supressão viral e risco de transmissão ao bebê contra o risco de defeitos do tubo neural. Mais de 1000 resultados referentes à exposição do segundo e terceiro trimestre em mulheres grávidas não indicam evidências de risco aumentado de efeitos negativos de malformações e efeitos negativos fetais/neonatais. No entanto, como o mecanismo pelo qual o dolutegravir pode interferir na gravidez humana é desconhecido, a segurança durante o segundo e o terceiro trimestre não é estabelecida. Os especialistas da área de saúde recomendam que, sempre que possível, as mulheres vivendo com HIV não amamentem para evitar a transmissão do HIV. De acordo com dados obtidos em animais, presume-se que o dolutegravir seja secretado no leite humano. Reações adversas: Reações muito comuns (>1/10): cefaleia, náusea e diarreia. Reações comuns (>1/100 e <1/10): insônia, tontura, sonhos anormais, ansiedade, vômito, flatulência, dor na porção alta do abdômem, dor e desconforto abdominal, erupção cutânea, prurido, fadiga e depressão. Reações incomuns (>1/1000 e <1/100): hipersensibilidade, síndrome de reconstituição imune, hepatite e ideias suicidas ou tentativas de suicídio (especialmente em pacientes com histórico de depressão ou alterações psiquiátricas pré-existentes). Os aumentos de creatinina foram comparáveis aos observados na terapia de base com ITRNs e semelhantes em pacientes previamente tratados. O perfil de segurança em pacientes coinfectados por hepatite B e/ou C foi semelhante ao observado em pacientes sem coinfecção por esses, embora as taxas de anormalidades de AST e ALT fossem maiores no subgrupo coinfectado. Interações Medicamentosas: Pode aumentar a concentração plasmática de fármacos cuja excreção dependa do OCT2. Efavirenz, etravirina, nevirapina, rifampicina, carbamazepina e tipranavir combinado ao ritonavir reduzem a concentração plasmática de Tivicay®, o que requer ajuste da dose para 50 mg duas vezes ao dia. Não é necessário ajustar a dose de Tivicay® quando coadministrado com etravirina e lopinavir/ritonavir, darunavir/ritonavir ou atazanavir/ritonavir. Fosamprenavir combinado ao ritonavir, reduz a concentração plasmática de Tivicay®, mas não exige ajuste da dose. Posologia: Adultos sem resistência a inibidores de integrase: dose recomendada é de 50 mg uma vez ao dia. Adultos com resistência a inibidores de integrase (documentada ou com suspeita clínica): dose recomendada é de 50 mg duas vezes ao dia. Adolescentes: dose recomendada para os pacientes nunca tratados com inibidores da integrase é de 50 mg uma vez ao dia. Não há dados suficientes para recomendação de dose em adolescentes resistentes a inibidores da integrase. Idosos: Não existem evidências de que os pacientes idosos necessitem de uma dose diferente. Superdosagem: A experiência limitada com doses maiores isoladas (até 250 mg em indivíduos saudáveis) não mostrou sinais nem sintomas específicos, exceto aqueles citados como reações adversas. Não há tratamento específico para a superdosagem de Tivicay®. A terapia recomendada é de suporte com monitoramento apropriado, quando necessário. Em razão da alta ligação às proteínas plasmáticas, é improvável que seja removido em quantidade considerável por diálise. Dados pós-comercialização: Reações incomuns (>1/1000 e <1/100): artralgia, mialgia e ganho de peso; Reações raras (>1/10000 e <1/1000): falência hepática aguda. Para dados completos sobre a segurança do medicamento, a bula na íntegra deverá ser consultada e poderá ser solicitada à empresa através do Departamento de Informações Médicas da GSK (SAC 08007012233 e/ou medinfo@gsk.com). USO SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. Reg MS:101070300. mBL_ L1364_tivicay_com_rev_GDS16_IPI16.

    
  • Informações de segurança - Tivicay

        

    INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA (BSIS) - TIVICAY

    Reações Adversas: cefaleia, náusea, diarreia, insônia, tontura, vômito, erupção cutânea, hipersensibilidade, síndrome de reconstituição imune, dor e desconforto abdominal, hepatite.

    Precauções e Advertências: Há relato de reações de hipersensibilidade aos inibidores da integrase, inclusive ao Tivicay, caracterizadas por erupção cutânea, sintomas gerais inespecíficos e, às vezes, disfunção de órgãos, inclusive lesão hepática. Interrompa imediatamente o uso de Tivicay e de outros agentes suspeitos caso surjam sinais ou sintomas de reações de hipersensibilidade. Deve‐se monitorar o estado clínico, inclusive as aminotransferases hepáticas, e iniciar tratamento adequado.

    Contraindicações: em combinação com medicamentos que possuem janelas terapêuticas estreitas e que sejam substratos do OCT2, incluindo dofetilida, pilsicainida ou fampridina e em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dolutegravir ou a algum dos excipientes.

    Interações Medicamentosas: A etravirina sem reforço de inibidor de protease diminuiu a concentração plasmática de dolutegravir. A dose recomendada de Tivicay é de 50 mg duas vezes ao dia quando há coadministração de etravirina sem reforço de inibidor de protease. Não se deve usar Tivicay com etravirina sem a coadministração de darunavir/ritonavir ou lopinavir/ritonavir em pacientes resistentes a INI.