Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

A ansiedade comórbida aumenta a ativação do controle cognitivo no Transtorno Depressivo Maior

Em estudo recente, foi observado o controle cognitivo diferencial para os pacientes com Transtorno Depressivo Maior (TDM) comparado com indivíduos com ansiedade comórbida.

Ansiedade comórbida e Transtorno Depressivo Maior
Ansiedade comórbida e Transtorno Depressivo Maior

Foi sugerido que os transtornos de ansiedade comórbidos, muitas vezes pré-existentes, influenciam a apresentação e prognóstico do transtorno depressivo maior (TDM), bem como uma pior resposta ao tratamento.1 A avaliação das diferenças no controle cognitivo para indivíduos com TDM comórbido e ansiedade comparado com TDM apenas tem sido limitada até o presente.1 Um estudo recente no Depression and Anxiety avaliou como esses transtornos influenciam o controle cognitivo.1

Um total de 101 participantes foram incluídos neste estudo entre 2003 e 2012:1

* 54 controles saudáveis (idade média de 33,8 anos, 29,6% homens)

* 18 pacientes com TDM (idade média de 34,3 anos, 38,9% homens)

* 29 pacientes com TDM + ansiedade (idade média de 33,2 anos, 27,6% homens).

Os controles saudáveis foram participantes que não se enquadraram nos critérios atuais (ou passados) para TDM ou quaisquer outros transtornos psiquiátricos dos eixos I ou II.1 Os pacientes com TDM e TDM com ansiedade comórbida foram diagnosticados utilizando a definição do Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais, 4ª edição (DSM-IV).1

Os pacientes com TDM e TDM + ansiedade apresentaram escores significativamente mais altos na Escala de Classificação de Depressão de Hamilton, neuroticismo no Inventário de Personalidade de Abertura, Extraversão e Neuroticismo (NEO-PI), escores de extraversão no NEO-PI, comparado com os controles saudáveis (todos p<0,05).1 Não foram observadas outras características significativamente diferentes entre os controles saudáveis e os pacientes com TDM.1

Monitoramento do controle cognitivo

Todos os participantes realizaram a tarefa paramétrica “Ir/Não-Ir” enquanto eram monitorados por exame de ressonância magnética funcional.1 Esta tarefa de 24 minutos mensurou a atenção (objetivos), mudança de conjunto, velocidade de processamento, respostas corretas (rejeições) e respostas incorretas (comissões) aos ensaios de atração.1 Crane e colaboradores observaram que ambos os grupos com TDM tiveram tempos de resposta significativamente mais longos para “Objetivos de Ir”, mas sem diferenças para “acurácia de ir” ou “acurácia de não ir”, comparado com os controles saudáveis.1 Durante as comissões, os controles saudáveis também tiveram maior ativação no giro frontal inferior direito do que ambos os grupos com TDM.1

Os pacientes com TDM e aqueles com comórbida TDM + ansiedade tiveram diferentes mecanismos neurais de controle cognitivo.1

Os pacientes com TDM + ansiedade apresentaram maior ativação no córtex pré-frontal dorsolateral anterior, regiões do hipocampo e caudado durante as Rejeições do que os pacientes com TDM ou os controles saudáveis.1 Os pesquisadores observaram que durante os Objetivos corretos, os pacientes com TDM + ansiedade demonstraram aumento da ativação do lóbulo parietal inferior em comparação com os mesmos grupos de comparação.1 Além disso, durante as Comissões, os pacientes com TDM apresentaram mais ativação no cíngulo médio, lóbulo parietal inferior e giro temporal superior do que os pacientes com TDM + ansiedade.1

Conclusões

Embora tenham sido observadas algumas semelhanças nos desempenhos de pacientes com TDM e aqueles com TDM + ansiedade, foi observado controle cognitivo diferencial entre estes dois grupos e também com os controles saudáveis.1 Crane e colaboradores observaram que esses achados eram consistentes com sua hipótese de hipervigilância dentro da rede de controle cognitivo em condições de TDM + ansiedade.1

A comorbidade da depressão e da ansiedade poderia explicar a heterogeneidade em estudos de pesquisa.1

Esses achados sugerem um meio de reduzir a heterogeneidade nos estudos de TDM, considerando a influência de um diagnóstico de ansiedade comórbida, que pode gerar confusão.1 Se esta comorbidade não for levada em conta, as diferenças entre os pacientes com TDM e os controles saudáveis podem ser inconscientemente obscurecidas ou acentuadas.1

 

Referência

1. CRANE, NA. et al. Comorbid anxiety increases cognitive control activation in major depressive disorder. Depress Anxiety, 33(10):967–977, 2016.