Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

A fathering holding his infant child
Doença meningocócica invasiva (DMI)

A doença meningocócica invasiva é incomum, mas é uma doença com potencial de risco à vida que pode ser prevenida por meio da vacinação. [1]

 

Características da DMI

Progressão:

A DMI é imprevisível e de difícil diagnóstico inicial. Esta doença apresenta inicialmente sintomas leves, mas, em seguida, progride rapidamente e se torna potencialmente fatal em 24 horas.2 3

 
Time chart showing the progression of invasive meningococcal disease (IMD)

Classificação:

  • A doença meningocócica é causada por um patógeno exclusivamente humano, a Neisseria meningitidis, um diplococo aeróbio gram-negativo, envolto por uma cápsula de polissacarídeo 4
  • A N. meningitidis é classificada em sorogrupos com base na reatividade imunológica de polissacarídeos capsulares 4
    • 5 dos 12 sorogrupos - A, B, C, W e Y -  causam a maioria dos casos de DMI 4

 

Transmissão:

  • A N. meningitidis é disseminada através de gotículas ou secreções respiratórias a partir de um portador humano ou uma pessoa infectada. 3

 

Portadores:

  • Cerca de 10% da população geral são portadores assintomáticos da N. meningitidis, mas as taxas são mais altas (geralmente >20%) em adolescentes mais velhos e jovens adultos. 5

Consequências:

Embora seja incomum, a DMI pode ser fatal ou causar deficiências graves que duram a vida toda nos sobreviventes. 1 3

Depiction of stats showing 1 in 10 death rate of patients diagnosed with invasive meningococcal disease (IMD)
Depiction of stats showing 1 in 5 rates of serious sequelae of patients diagnosed with invasive meningococcal disease (IMD)

Prevenção:

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) orienta que a melhor defesa contra a doença meningocócica é manter a vacinação em dia. Um estilo de vida saudável, assim como não entrar em contato próximo com pessoas doentes, também pode ajudar. 8

Epidemiologia da DMI

Classificação:
Estima-se um número de 500.000 a 1.200.000 casos de DMI globalmente a cada ano 4

A distribuição dos sorogrupos de Neisseria meningitidis varia entre as regiões/países9-21,ᵃ

Map showing estimated cases of invasive meningococcal disease (IMD) globally

ᵃA distribuição de sorogrupos não pode ser comparada diretamente entre os países devido à variabilidade nos dados de vigilância disponíveis. Os dados de sorogrupos são de todas as faixas etárias. As porcentagens podem não totalizar 100 devido ao arredondamento.

Populações em risco

Embora incomum, a maioria dos casos de doença meningocócica ocorre sem aviso em indivíduos saudáveis e pode resultar em sequelas graves e até mesmo em morte.  1 22

Determinados grupos são considerados em risco elevado, incluindo:

  • Crianças com menos de 5 anos de idade
  • Adolescentes
  • Viajantes e pessoas vivendo em ambientes aglomerados
  • Indivíduos com doenças associadas à imunodeficiência
Young child looking straight
Grupos específicos em risco elevado de DMI
Child under 5 who is considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

CRIANÇAS COM MENOS DE 5 ANOS

Os sistemas imunológicos de lactentes são imaturos e ainda não desenvolveram seus próprios anticorpos protetores. Os níveis de anticorpos maternos protetores vão diminuindo em lactentes. 2324

Adolescent girl who is considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

ADOLESCENTES 

Comportamentos sociais presentes em adolescentes e jovens adultos - fumar, beijar, morar em ambientes com muitas pessoas, frequentar bares e boates, compartilhar bebidas, cigarros e utensílios. 3 25

Travelers to high-risk areas who are considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

VIAJANTES E PESSOAS VIVENDO EM AMBIENTES AGLOMERADOS 

Viajar para áreas de alto risco e viver com várias pessoas em dormitórios de universidades, grandes deslocamentos em peregrinações ou no serviço militar - contribuem para o risco elevado de colonização e disseminação da bactéria N. meningitidis3 6 26

Doctor examining infant patient with invasive meningococcal disease (IMD)

RISCOS DE SAÚDE 

Indivíduos que sofrem de imunodeficiência, incluindo asplenia, deficiências de complemento terminal ou infecção avançada pelo HIV.  6 26

Distribuição de casos por faixa etária:

Número de casos de DMI por faixa etária no Brasil em 2019: total de casos, n= 1.037 12

Bar chart showing incidence of invasive meningococcal disease by age group
  • CARACTERÍSTICAS DA DMI

    Características da DMI

    Progressão:

    A DMI é imprevisível e de difícil diagnóstico inicial. Esta doença apresenta inicialmente sintomas leves, mas, em seguida, progride rapidamente e se torna potencialmente fatal em 24 horas.2 3

     

    Classificação:

    • A doença meningocócica é causada por um patógeno exclusivamente humano, a Neisseira meningitidis, um diplococo aeróbio gram-negativo, envolto por uma cápsula de polissacarídeo 4
    • A N. meningitidis é classificada em sorogrupos com base na reatividade imunológica de polissacarídeos capsulares 4
      • 5 dos 12 sorogrupos - A, B, C, W e Y -  causam a maioria dos casos de DMI 4

     

    Transmissão:

    • A N. meningitidis é disseminada através de gotículas ou secreções respiratórias a partir de um portador humano ou uma pessoa infectada. 3

     

    Portadores:

    • Cerca de 10% da população geral são portadores assintomáticos da N. meningitidis, mas as taxas são mais altas (geralmente >20%) em adolescentes mais velhos e jovens adultos. 5

    Consequências:

    Embora seja incomum, a DMI pode ser fatal ou causar deficiências graves que duram a vida toda nos sobreviventes. 1 3

    Prevenção:

    O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) que a melhor defesa contra a doença meningocócica é manter a vacinação em dia. Um estilo de vida saudável, assim como não entrar em contato próximo com pessoas doentes, também pode ajudar. 8

  • EPIDEMIOLOGIA DA DMI

    Epidemiologia da DMI

    Classificação:
    Estima-se um número de 500.000 a 1.200.000 casos de DMI globalmente a cada ano 4

    A distribuição dos sorogrupos de Neisseria meningitidis varia entre as regiões/países9-21,ᵃ

    ᵃA distribuição de sorogrupos não pode ser comparada diretamente entre os países devido à variabilidade nos dados de vigilância disponíveis. Os dados de sorogrupos são de todas as faixas etárias. As porcentagens podem não totalizar 100 devido ao arredondamento.

  • POPULAÇÕES EM RISCO

    Populações em risco

    Embora incomum, a maioria dos casos de doença meningocócica ocorre sem aviso em indivíduos saudáveis e pode resultar em sequelas graves e até mesmo em morte. 1 22

    Determinados grupos são considerados em risco elevado, incluindo:

    • Crianças com menos de 5 anos de idade
    • Adolescentes
    • Viajantes e pessoas vivendo em ambientes aglomerados
    • Indivíduos com doenças associadas à imunodeficiência
    Grupos específicos em risco elevado de DMI
    Child under 5 who is considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

    CRIANÇAS COM MENOS DE 5 ANOS

    Os sistemas imunológicos de lactentes são imaturos e ainda não desenvolveram seus próprios anticorpos protetores. Os níveis de anticorpos maternos protetores estão diminuindo em lactentes. 2324

    Adolescent girl who is considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

    ADOLESCENTES 

    Comportamentos sociais presentes em adolescentes e jovens adultos - fumar, beijar, morar em ambientes com muitas pessoas, frequentar bares e boates, compartilhar bebidas, cigarros e utensílios. 3 25

    Travelers to high-risk areas who are considered at-risk for invasive meningococcal disease (IMD)

    VIAJANTES E PESSOAS VIVENDO EM AMBIENTES AGLOMERADOS 

    Viajar para áreas de alto risco e viver com várias pessoas em dormitórios de universidades, grandes deslocamentos em peregrinações ou no serviço militar - contribuem para o risco elevado de colonização e disseminação da bactéria N. meningitidis3 6 26

    Doctor examining infant patient with invasive meningococcal disease (IMD)

    RISCOS DE SAÚDE 

    Indivíduos que sofrem de imunodeficiência, incluindo asplenia, deficiências de complemento terminal ou infecção avançada pelo HIV.  6 26

    Incidência por faixa etária:

    Taxa de casos de DMI por faixa etária na no Brasil em 2019: total de casos, N=124 27

    Figura adaptada de dados do Centro de Prevenção e Controle de Doenças da Europa.

    ᵇCasos confirmados: Áustria, Bélgica, Bulgária (2006 em diante), Croácia (2012 em diante), Chipre (2004 em diante), República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria (2003 em diante), Islândia, Irlanda, Itália, Letônia (2002 em diante), Lituânia (2000 em diante), Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal (2000 em diante), Romênia (2006 em diante), Eslovênia (2003 em diante), Espanha, Suécia, Reino Unido.

Referências

  1. Pelton SI. Meningococcal disease awareness: clinical and epidemiological factors affecting prevention and management in adolescents. J Adolesc Health. 2010;46:S9-S15
  2. Thompson MJ, Ninis N, Perera R, et al. Clinical recognition of meningococcal disease in children and adolescents. Lancet. 2006;367(9508):397–403.
  3. World Health Organization. Meningococcal meningitis. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/meningococcal-meningitis. Acesso em: 17 abr. 2020.
  4. Gabutti G, Stefanati A, Kuhdari P. Epidemiology of Neisseria meningitidis infections: case distribution by age and relevance of carriage. J Prev Med Hyg. 2015;56(3):E116–E120. 
  5. Christensen H, May M, Bowen L, Hickman M, Trotter CL. Meningococcal carriage by age: a systematic review and meta-analysis [published correction appears in Lancet Infect Dis. 2011 Aug;11(8):584]. Lancet Infect Dis. 2010;10(12):853–861.
  6. World Health Organization (WHO). Weekly epidemiological record. No. 47. (2011) 521-540. 
  7. Viner RM, Booy R, Johnson H, et al. Outcomes of invasive meningococcal serogroup B disease in children and adolescents (MOSAIC): a case-control study. Lancet Neurol. 2012;11(9):774–783.
  8. Centers for Disease Control and Prevention. Meningococcal Disease: Prevention. https://www.cdc.gov/meningococcal/about/prevention.html. Acesso em: 23 abr. 2020.
  9. Government of Canada, 2017. Vaccine Preventable Disease: Surveillance Report to December 31, 2015. Disponível em: https://www.canada.ca/en/public-health/services/publications/healthy-living/vaccine-preventable-disease-surveillance-report-december-31-2015.html. Acesso em Setembro 2020.
  10. Centers for Disease Control and Prevention 2017. Enhanced meningococcal disease surveillance report, 2017. Disponível em: https://www.cdc.gov/meningococcal/downloads/NCIRD-EMS-Report-2017.pdf. Acesso em Setembro 2020.
  11. Instituto Nacional de la Salud, Grupo de Microbiologia, 2018. Vigilancia por laboratorio Neisseria meningitidis (aislaminetos invasores) periodo 1987–2017. Disponível em: https://www.ins.gov.co/buscador-eventos/Informacin%20de%20laboratorio/Informe%20Vigilancia%20por%20Laboratorio%20de%20N%20%20meningitidis%202017.pdf. Acesso em Novembro 2020.
  12. Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os limites "SOROGRUPO" para Linha, "FAIXA ETÁRIA" para Coluna, "CASOS CONFIRMADOS" para Conteúdo, "2019" para Períodos Disponíveis, "MM", "MCC" e "MM+MCC" para Etiologia, e "TODAS AS CATEGORIAS" para os demais itens. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/meninbr.def. Acesso em Setembro 2020.
  13. Servicio Bacteriología Clínica-Departamento Bacteriología-INEI-ANLIS, Malbrán CG, 2018. Información sobre la vigilancia de las neumonías y meningitis bacterianas. SIREVA II. OPS. 2018. Disponível em: http://antimicrobianos.com.ar/ATB/wp-content/uploads/2019/03/Tablas-SIREVA-II-Nm-2018.pdf. Acesso em Setembro 2020.
  14. European Centre for Disease Prevention and Control. Invasive meningococcal disease. In: ECDC. Annual epidemiological report for 2017. Stockholm: ECDC, 2019. Disponível em: https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/AER_for_2017-invasive-meningococcal-disease.pdf. Acesso em Setembro 2020. 
  15. Ceyhan M et al. Open Forum Infect Dis. 2018;5(Suppl 1):S246 and poster 682 presented at: IDWeek 2018; October 3–7; San Francisco, CA, USA. Disponível em: https://academic.oup.com/ofid/article/5/suppl_1/S246/5207899. Acesso em Setembro 2020.
  16. Memish Z, Al Hakeem R, Al Neel O, Danis K, Jasir A, Eibach D. Laboratory-confirmed invasive meningococcal disease: effect of the Hajj vaccination policy, Saudi Arabia, 1995 to 2011. Euro Surveill. 2013;18(37):20581. 
  17. World Health Organization (WHO). Meningitis control in countries of the African meningitis belt, 2015. Wkly Epidemiol Rec 2016;91:209–216.
  18. National Institute for Communicable Diseases, 2017. GERMS–South Africa Annual Report 2017. Disponível em: https://www.nicd.ac.za/wp-content/uploads/2018/08/GERMS-SA-AR-2017-final.pdf. Acesso em Setembro 2020. 
  19. Fukusumi M, Kamiya H, Takahashi H, et al. National surveillance for meningococcal disease in Japan, 1999-2014. Vaccine. 2016;34(34):4068–4071.
  20. Australian Government Department of Health. Invasive meningococcal disease national surveillance report. Q4 2018. Disponível em: https://www1.health.gov.au/internet/main/publishing.nsf/Content/5FEABC4B495BDEC1CA25807D001327FA/$File/QTR-2-IMD-Surveillance-report-30Jun18.pdf. Acesso em Setembro 2020.  
  21. New Zealand Public Heath Surveillance ESR Invasive Meningococcal Disease Report 19 Dec 2018 Disponível em: https://surv.esr.cri.nz/PDF_surveillance/MeningococcalDisease/2018/MeningococcalDisease_wk49-502018.pdf. Acesso em Setembro 2020. 
  22. Centers for Disease Control and Prevention. Prevention and control of meningococcal disease: recommendations of the Advisory Committee on immunization practices (ACIP). MMWR Recomm Rep. 2013;62(RR-2):1-28. 
  23. Rosenstein NE, Perkins BA, Stevens DS, Popovic T, Hughes JM. Meningococcal disease. NEJM,2001;344(18):1378-1388. 
  24. Judelsohn R, Marshall GS. The burden of infant meningococcal disease in the united states. J Pediatric Infect Dis Soc. 2012;1(1):64–73. 
  25. Imrey PB, Jackson LA, Ludwinski PH, et al. Meningococcal carriage, alcohol consumption, and campus bar patronage in a serogroup C meningococcal disease outbreak. J Clin Microbiol. 1995;33(12):3133–3137. 
  26. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Prevention and control of meningococcal disease. Recommendations of the Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP). MMWR Recomm Rep. 2005;54(RR-7):1–21. 
  27. Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os imites "ANO 1º SINTOMAS" para linha, "EVOLUÇÃO" para Coluna, "CASOS CONFIRMADOS" para Conteúdo, "2019" para Períodos Disponíveis, "MM", "MCC" e "MM+MCC" para Etiologia, e "TODAS AS CATEGORIAS" para os demais itens. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinanet/cnv/meninbr.def. Acesso em: setembro 2020.

Data de elaboração: Novembro de 2020. PM-BR-BEX-WCNT-200004