Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

  

COVID-19 Related Genes in Sputum Cells in Asthma: Relationship to Demographic Features and Corticosteroids


Resumo

Os autores do artigo publicado na ATS journal em abril analisaram a expressão genética de ECA2 (enzima conversora de angiotensina 2), PRSTMS2 (protease serina transmembrana 2), proteínas da superfície das células que se acredita serem alvo do SARS-CoV-2 para infecção celular. Os pesquisadores analisaram células de escarro de 330 pacientes participantes de uma coorte de portadores de asma grave para entender se o aumento da expressão dessas proteínas pelas células pulmonares aumentaria a susceptibilidade à infecção pelo vírus, bem como ao desenvolvimento de formas mais graves da doença. Os principais achados foram:

  • A expressão genética de ECA2 foi menor que PRSTMS2, e os níveis de ambos os genes foram semelhantes em asmáticos e controles sadios.
  • Dentre pacientes asmáticos, as características que se correlacionaram com uma maior expressão genética para ECA2 e PRSTMS2 foram: sexo masculino, raça afroamericana e história de diabetes mellitus.
  • O uso de corticóide inalado (CI) se associou com uma menor expressão genética para ECA2 e PRSTMS2.

Esses achados são importantes na identificação de subgrupos de pacientes asmáticos com uma maior susceptibilidade à infecção pelo SARS-CoV-2 e fatores de risco possivelmente associados ao desenvolvimento de formas mais graves de COVID-19. São necessários mais estudos para associar um possível efeito protetor do uso de CI em relação à susceptibilidade e morbidade relacionadas ao novo coronavírus.

  • Refêrencias

    1.  Peters MC. Et al. COVID-19 Related Genes in Sputum Cells in Asthma: Relationship to Demographic Features and Corticosteroids.Am J Respir Crit Care Med. 2020 Apr 29. doi: 10.1164/rccm.202003-0821OC2.

     

Para ter acesso ao artigo na íntegra, acesse:
https://www.atsjournals.org/doi/pdf/10.1164/rccm.202003-0821OC

THE TRINITY OF COVID-19: IMMUNITY, INFLAMMATION AND INTERVENTION


Resumo

Neste artigo de revisão os autores discutem os diversos mecanismos da infecção e imunopatogênese relacionados com a SARS-CoV-2, traçando um paralelo com a fisiopatologia e imunologia de outros coronavírus direcionados ao trato respiratório inferior humano e destacando a contribuição das respostas imunes disfuncionais para a progressão da doença, onde os principais pontos foram:

  • A infecção pelo COVID-19 pode estar associada com reações inflamatórias agressivas, que resultam em dano às vias aéreas e cuja severidade se relaciona diretamente à resposta imune. 
  • Pode ser detectada atividade de linfócitos B e T em resposta ao COVID-19 por volta de uma semana após o início dos sintomas.  
  • Em alguns pacientes, uma resposta imune disfuncional (de causa mal definida) é desencadeada por ação viral sobre monócitos e macrófagos, provocando uma produção aberrante de citocinas, com importantes danos sistêmicos.

Ainda existe necessidade de uma investigação detalhada dos fatores determinantes de respostas imunes adequadas ou disfuncionais, auxiliando na identificação de biomarcadores correlatos de imunidade. O controle da resposta inflamatória, com terapias que regulem aspectos disfuncionais do sistema imune, pode ser tão importante quanto o próprio combate direto ao Covid-19. Terapias com ação inibitória da replicação viral poderiam atuar em sinergia com a regulação do sistema imune disfuncional.

  • Referências

    1.  ZIRUI TAY, M. Et al.  The Trinity of Covid-19: Immunity, Inflammation And Intervention. Nature Reviews Immunology, 2020.

Para ter acesso ao artigo na íntegra, acesse:

https://www.nature.com/articles/s41577-020-0311-8.pdf