Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

  

APRESENTAÇÃO TOMOGRÁFICA DA INFECÇÃO PULMONAR NA COVID-19: EXPERIÊNCIA BRASILEIRA INICIAL.


Resumo

O artigo descreve os principais achados tomográficos da primeira coorte brasileira de COVID-19. Foram reunidos os 12 primeiros pacientes com diagnóstico confirmado (por RT-PCR) de COVID-19 que foram submetidos ao exame de tomografia computadorizada de tórax, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Os principais achados se assemelham aos que vêm sendo descritos na literatura e estão de acordo com a experiência internacional recente:

  • Opacidades em vidro fosco multifocais bilaterais, por vezes associadas a reticulado fino de permeio (pavimentação em mosaico), geralmente envolvendo vários lobos pulmonares e com distribuição predominantemente periférica no parênquima.
  • Baixa incidência de derrame pleural e a ausência de linfonodomegalias, nódulos ou lesões escavadas.

O artigo ainda discute (analisando literatura recente) que, sob indicações clínicas específicas, a TC de tórax pode auxiliar no diagnóstico desta doença, mas não é recomendada para rastreamento ou como teste de primeira escolha para o diagnóstico de COVID-19.

  • Referências

    1.   CHATE, R.C .et al. Apresentação Tomográfica Da Infecção Pulmonar Na Covid-19: Experiência Brasileira Inicial J. bras. Pneumol. 2020 Apr 09. doi:10.36416/1806-3756/e20200121

Para ter acesso ao artigo na íntegra, acesse:
http://www.jornaldepneumologia.com.br/detalhe_artigo.asp?id=3339

IS NICOTINE EXPOSURE LINKED TO CARDIOPULMONARY VULNERABILITY TO COVID-19 IN THE GENERAL POPULATION?


Resumo

Os autores fazem uma revisão sobre o consumo de nicotina como fator de risco para COVID-19 (coronavírus disease 2019). Como principais pontos, temos que:

  • O gene ACE2 codifica a enzima conversora da angiotensina-2 (ACE2) que, ao que tudo indica, é usado como receptor de ligação pelo coronavírus (2019-nCoV/SARS-CoV-2) no hospedeiro.
  • O tabagismo está associado ao aumento da expressão da proteína ACE2 no pulmão.
  • A exposição prolongada à nicotina pode levar a um mecanismo celular de susceptibilidade viral, o qual pode influenciar na gravidade da doença durante a infecção pulmonar, bem como durante a infecção em outros órgãos.

Os autores ainda destacam que tanto o tabagismo quanto a inalação de nicotina correlacionam-se com um aumento agudo da pressão arterial sistólica e diastólica; e com o aumento da atividade da ACE no plasma.

  • Referências

    1.  OLDS J L, .et. al. Is nicotine exposure linked to cardiopulmonary vulnerability to COVID‐19 in the general population? FEBS J. 2020 Mar 18. doi: 10.1111/febs.15303

Para ter acesso ao artigo na íntegra, acesse:
https://febs.onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1111/febs.15303