Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

RESISTÊNCIA À INSULINA E SÍNDROME METABÓLICA EM HOMENS COM ACNE


Há uma lacuna a respeito da relevância da resistência à insulina e síndrome metabólica no contexto da acne em homens. Para esclarecer este tópico, realizou-se um estudo seccional em 100 pacientes do sexo masculino e 100 pacientes controle, sem acne, em um centro terciário com ambulatório de dermatologia. 25 pacientes divididos entre os grupos de gravidade de acne, de acordo com o Global Acne Grading System, pareados com 100 pacientes controle, todos já passados da puberdade. Levou-se em consideração o exame clínico, o Global Acne Rating System, o National Cholesterol Eduaction Programme Adult Treatment Panel III, (NCEP-ATPIII) e os critérios do Homeostasis Model Assessment – Insulin Resistance (HOMA-IR).

Um valor de HOMA-IR maior que 2.5 foi considerado como resistência à insulina. A prevalência de resistência à insulina foi significativamente maior nos casos (22%) comparados aos controle (11%) (P.03). A prevalência de síndrome metabólica foi comparada entre os casos (17%) e controles (9%)(P=.09). A prevalência de resistência à insulina e síndrome metabólica não difere significativamente entre os grupos de severidade de acne.

Concluindo, os pacientes masculinos com acne apresentam mais comumente resistência à insulina. Esta resistência pode ser interpretada como um estágio de pré-diabetes e os pacientes podem apresentar hiperinsulinemia ou diabetes tipo 2 no futuro. Estes pacientes devem ser avaliados por um período prolongado, para determinar se apresentarão outras condições associadas à resistência à insulina.1


1. NAGPAL, M. et al. Insulin Resistance and Metabolic Syndrome in Young Men With Acne. JAMA Dermatology, 152(4): 399-404, 2016.