Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

    

Webshop

    

Receba amostras dos medicamentos da GSK
e recursos para pacientes em seu consultório.

    

teste

                   

                   

                   

Flutivate: corticoide tópico potente especialmente desenvolvido para eficácia e tolerabilidade.1-3

                   

Indicado para o tratamento de dermatoses suscetíveis a corticosteróides tópicos:1
dermatite atópica, dermatite de contato, dermatite seborréica e adequado para áreas sensíveis.1,10

                   


Segurança:

Índice de eventos comparável a HC 1% e ao placebo.9



Mesmo índice terapêutico
que a mometasona e metilprednisolona, porém o único com terapia de manutenção da DA
em bula.1,4,7,8


Terapia de manutenção com Flutivate duas vezes por semana mais emoliente diariamente reduz o risco de recidiva em pacientes com DA recorrente.5,6

                   

Flutivate demonstra tolerabilidade comparável à hidrocortisona 1% na dermatite atópica.9

                   

Gráfico Flutivate

                   

Flutivate possui alto índice terapêutico13

O índice terapêutico avalia o efeito terapêutico de uma droga (efeitos desejados) em relação ao seu potencial para induzir efeitos indesejáveis. Um corticoide tópico com alto índice terapêutico combina alta eficácia com baixa incidência de efeitos adversos locais e sistêmicos.13

  IT
Vasoconstrição Eficácia* Atrofia da pele Supressão
do eixo HPA
Potencial
Alergênico
Valerato de betametasona 1,2 8 10 12 2 1
Propionato de clobetasol 1,5 12 15 12 4 1
Hidrocortisona 1,0 4 5 6 2 1
Butirato de hidrocortisona 1,4 4 10 6 2 2
Furoato de mometasona 2,0 8 10 6 2 1
Aceponato
de metilprednisolona
2,0 8 10 6 2 1
Flutivate
(propionato de fluticasona)
2,0 8 10 6 2 1

                   

HPA: Hipotálamo-Pituitária-Adrenal;
IT: Índice Terapêutico;
*Para dermatite atópica vs outros corticoides.13

                   

Notas de rodapé

Detalhes do estudo: O tempo médio para a primeira recidiva foi de 142,0 dias (IC 95% 50-150) para emoliente isolado (n=53), mas não foi obtido para Flutivate + emoliente (n=54); RR 13,5 (IC 95% 4,1-44,3); p<0,0001. *ARR: 56,6% emoliente (n=30) vs. 5,6% Flutivate + emoliente (n=3)1; *ARR 72% veículo (n=28) vs 26% propionato de fluticasona (n=16).2

ANeste estudo aberto e randomizado, 123 pacientes (com idades entre 1-17 anos) com dermatite atópica leve a moderada foram tratados com Flutivate creme 0,05% duas vezes ao dia durante 4 semanas (fase aguda). Pacientes que obtiveram sucesso do tratamento foram inscritos na fase de manutenção e foram randomizados 1:1 para receber Flutivate creme 0,05% uma vez ao dia, duas vezes por semana juntamente com um emoliente duas vezes ao dia (Grupo A) ou apenas o emoliente (Grupo B) por até 20 semanas. O desfecho primário foi o tempo até a primeira recidiva, que foi definida como uma exacerbação da dermatite atópica, que resultou em uma diferença de ≥2 pontos na pontuação da Avaliação Estática Global do Médico (PSGA) em comparação com a pontuação do PSGA do sucesso do tratamento de um paciente. A segurança foi avaliada durante todo o estudo. Flutivate foi bem tolerado em geral e a incidência de eventos adversos foi equilibrada entre os grupos de tratamento.1

ARR: taxa de resposta absoluta.

                   

                   

                   

Bactroban: aplique cuidado confiável.
Aprovado em >90 países e recomendado por diretrizes internacionais.17-29

                   

Escabiose Infectada

Escabiose Infectada


Talvez você tenha notado os sinais:

  • Pápulas com coceira intensa, principalmente à noite, que podem atrapalhar o sono.17,18
  • As lesões podem aparecer em qualquer lugar, mas são comumente localizadas entre os dedos, pele flexural do pulso e dobras cutâneas.17,19
  • A escabiose crostosa pode ser localizada ou extensa e pode estar localizada no couro cabeludo.17
  • Linhas brancas serpiginosas que se formam onde o ácaro escavou a pele.19
  • Áreas de escavação podem ser infectadas secundariamente por bacténas.19
  • A infecção secundária está associada ao pus ou crosta melicéricas.
                   
                   
                   
                   

Picada de inseto infectado
(por exemplo, pulga ou mosquito)

Picada de inseto


Pápulas pruriginosas na área do corpo que foi exposta ao inseto, associadas a eritema contínuo ou seu agravamento, dor ou febre e inflamação e endema localizados. Além disso, para ajudar no diagnóstico, as picadas de pulgas são normalmente encontradas abaixo dos joelhos.20,24

                   

Impetigo

Impetigo


Vesículas ou pústulas de paredes finas que secretam exsudato antes de formar urna crosta melicérica; ocorre mais comumente na face, membros e flexuras.17,25

                   

Foliculite

Foliculite


Infecção superficial restrita aos folículos pilosos, que pode evoluir para pequenas pápulas ou pústulas inflamatórias.17,22

                   

Dermatite de contato

Dermatite de contato


A dermatite se apresenta como áreas de pele seca, pruriginosa e eritematosa. A dermatite atópica frequentemente se apresenta na infância e em pacientes com histórico familiar de atopia enquanto a dermatite de contato ocorre após a exposição a um irritante ou alérgeno.17,23,24

                   

                   

Bactroban (mupirocina) 2% pomada
para escabiose infectada

É eficaz e bem tolerada em infecções secundárias da pele vs antibióticos tópicos (ácido fusídico) e antibióticos orais (eritromicina e cefalexina).26-30 Consulte a bula para uma lista completa dos efeitos adversos.*26
*Os eventos adversos comuns incluem sensação de queimação na área da aplicação.

Produto Bactroban

                   

                   

Gráfico Bactroban
Gráfico Bactroban

                   

Bactroban: aplique o cuidado confiável
para as infecções cutâneas primárias e secundárias.17

                   

Check

Risco mínimo de
resistência cruzada.17,18
Redução de 90% na masssa do biofilme de S.aureaus.19p

Check

Aprovada em >90 países**
e recomendada por diretrizes internacionais.21-33

Check

Eficácia superior vs Ácido fusídico* para infecções cutâneas comuns, incluindo impetigo.34A

                   

Notas de rodapé

*Ácido fusídico apresentação pomada.

PA Coleção Americana de Cultura de S. aureus25923 e 12 isolados clínicos foram investigados quanto a sua capacidade de formar biofilmes em um cenário in vitro usando um ensaio em placa de microtitulação com cristal violeta (CV) e microscopia confocal de varredura a laser (CLSM, na sigla em inglês). Testes de susceptibilidade antimicrobiana foram realizados para determinar as concentrações inibitórias mínimas em cepas planctônicas e formadoras de biofilme. Além disso, biofilmes estabalecidos foram submetidos aos agentes microbianos em uma série de diluição dupla. Uma análise CV da massa do biofilme foi realizada após 1 e 24 horas de tratamento e a CIM50 e CIM90 do biofilme foram registradas. As cepas clínicas foram todas isoladas recentemente das passagens nasais dos pacientes diagnosticados com rinossinusite crônica de diferentes centros de tratamento terciários na Austrália Meridional e foram fornecidas pelo Instituto de Ciência Médica e Veterinária (Austrália Meridional).19

ADados de um estudo clínico cego, observador, multicêntrico com 413 pacientes da clínica geral com infecções superficiais da pele randomizados para receber Bactroban pomada (n=275) duas vezes ao dia ou fusidato de sódio (n=138) três vezes ao dia por um período de 7 dias. Um resultado clínico bem-sucedido foi avaliado pelo número de pacientes com melhora ou cura das lesões. Um resultado bacteriológico bem-sucedido foi avaliado pela redução no número de organismos encontrados antes do tratamento (Bactroban pomada n=130; fusidato de sódio pomada n=56) e o número de pacientes dos quais os patógenos foram aparentemente eliminados (96% [125 de 130] para Bactroban pomada e 88% [49 de 56] para fusidato de sódio pomada). Antes do tratamento, 323 cepas foram isoladas de 261 pacientes; 43 não puderam ser avaliados bacteriologicamente após o tratamento.34

BDados de um subgrupo de pacientes com impetigo, estes representam aproximadamente 40% da coorte total de pacientes.34

CIM50: Concentração inibitória mínima a 50%;
CIM90: Concentração inibitória mínima a 90%;
CLSM: Confocal laser scanning microscopy.

**Lista de países onde Bactroban (mupirocina) é comercializado:

Argentina, Armênia, Aruba, Austrália. Áustria, Azerbaijão, Bahrein, Bielorrússia, Bélgica, Botswana, Brasil, Bulgária, Chile, Colômbia, Costa Rica, Croácia, Curação, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, República Dominicana, Equador, Egito, El Salvador, Etiópia, Finlândia, França, Gâmbia, Geórgia, Alemanha, Grécia, Guatemala, Guiana, Hong Kong, Hungria, Islândia, Índia, Indonésia, Irlanda, Israel, Itália, Jamaica, Japão, Quênia, Líbano, Luxemburgo, Malaui, Malásia, Maldivas, Malta, Maurício, México, Namíbia, Holanda, Nova Zelândia, Nicarágua, Nigéria, Macedônia do Norte, Omã, Paquistão, Palestina, Filipinas, Polônia, Portugal, Catar, Federação Russa, Arábia Saudita, Sérvia, Cingapura, Eslováquia, África do Sul, Espanha, Sri Lanka, Suriname, Suécia, Suíça, Tanzânia, Tailândia, Trinidad e Tobago, Turquia, Uganda, Ucrânia, Árabes Unidos, Emirados, Reino Unido, Estados Unidos, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela, Vietnã e Zâmbia.  

                   

Viver Mais - Valtrex

                   

                   

                   

Para acessar a bula de Flutivate, clique aqui.
Para acessar a bula de Bactroban, clique aqui.
Para acessar a bula de Valtrex, clique aqui.

                   

  • Informações de segurança:

    Informações de segurança de Flutivate:

    PRINCIPAIS REAÇÕES ADVERSAS: prurido, ardor local.

    PRINCIPAIS PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS: Flutivate creme contém o excipiente imiduréia, que libera traços de formaldeído como produto de degradação. O formaldeído pode causar sensibilização alérgica ou irritação, após contato com a pele.

    CONTRAINDICAÇÕES: infecções cutâneas sem tratamento; rosácea e acne vulgar.

    INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: a coadministração de medicamentos que podem inibir o citocromo CYP3A4
    (p. ex. ritonavir e itraconazol) demonstrou a capacidade de inibir o metabolismo dos corticosteróides, levando ao aumento da exposição sistêmica.

    Informações de segurança de Bactroban:

    PRINCIPAIS REAÇÕES ADVERSAS: ardência localizada na área da aplicação, prurido, eritema, parestesias e ressecamento da área da aplicação.

    PRINCIPAIS PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS: deve ser usado com precaução em pacientes que possuem insuficiência renal moderada ou grave.

    CONTRAINDICAÇÃO: pacientes com história de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da formulação.

    INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: não foram relatadas interações medicamentosas.


    Informações de segurança de Valtrex:

    PRINCIPAIS REAÇÕES ADVERSAS:
    Reações comuns (>1/100 e <1/10): dor de cabeça, náuseas.

    PRINCIPAIS PRECAUÇÕES: deve-se ter o cuidado de assegurar uma ingestão adequada de fluidos para pacientes que correm risco de desidratação, particularmente os idosos.

    CONTRAINDICAÇÕES: pacientes com hipersensibilidade conhecida a valaciclovir, aciclovir ou qualquer componente da fórmula.

    INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: nenhuma interação clinicamente significativa.

    DADOS PÓS-COMERCIALIZAÇÃO: Reações incomuns (>1/1.000 e <1/100): dispneia, erupções (inclusive por fotossensibilidade). Reações raras (>1/10.000 e <1/1.000): vertigem, confusão, alucinação, redução do nível de consciência; desconforto abdominal, vômito, diarreia; prurido; insuficiência renal. Reações muito raras (<1/10.000): leucopenia (principalmente em pacientes imunocomprometidos), trombocitopenia; anafilaxia; distúrbios neurológicos e psiquiátricos (agitação, tremor, ataxia, disartria, sintomas psicóticos, convulsões, encefalopatia, coma)*; aumento reversível de enzimas hepáticas (ocasionalmente descritos como hepatite); urticária, angioedema; insuficiência renal aguda; dor renal (que pode estar associada com insuficiência renal).

    *Os eventos acima (distúrbios neurológicos e psiquiátricos) são geralmente reversíveis e usualmente observados
    em pacientes com insuficiência renal ou outro fator de predisposição (ver a seção Advertências e Precauções).
    Em pacientes que sofreram transplante de órgãos e receberam altas doses de Valtrex® (8 g/dia).

                   

  • Referências

    1. Flutivate (propionato de fluticasona). Bula do produto.

    2. Johnson M. Development of fluticasone propionate and comparison with other inhaled corticosteroids. J Allergy Clin immunol. 1998;101(4 Pt 2):S434-S439.

    3. Johnson M. Fluticasone Propionate: Safety Profile. Cutis. 1996;57(2S).10-12.

    4. Korting HC, Schollmann C. Development of fluticasone propionate and comparison with other inhaled corticosterods. Eur Acad Dermatol Venereol. 2012;26(2):133-140.

    5. Hanifin J et al. Intermittent dosing of fluticasone propionate cream for reducing the risk of relapse in atopic dermatitis patients. Br J Dermatol. 2002;147(3):528-537.

    6. Liu L, Ong G. A randomized, open-label study to evoluate an intermittent dosing regimen of fluticasone propionate 0.05% cream in combination with regular emollient skin care in reducing the risk of relapse in pediatric patients with stabilized atopic dermatitis. J Dermatol Treat. 2017;22.1-9.

    7. Furoato de mometasona. Bula do produto.

    8. Aceponato de metilprednisolona. Bula do produto.

    9. Kirkup, ME. et al. Acute and maintenance treatment of atopic dermatitis in chIldren - two comparative studies with fluticasone propionate (0.05%) cream. Journal of Dermatological Treatment (2003) 14, 141-148.

    10. ROEDER, A. et al. Safety and efficacy of fluticasone propionate in the topical treatment of skin diseases. Skin Pharmacol Physiol, 18:3-11, 2005.

    11. Korting HC. Scholmann C. Guidelines of care for the management of atopic dermatitis: section 2. Management and treatment of atopic dermatitis with topical. Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology; 2012:26;133-140.

    13. Eichenfield LF, Sáenz, AB. Safety and Efficacy of Clindamycin Phosphate 1.2%-Benzoyl Peroxide 3% Fixed-Do Combination Gel for the Treatment of Vulgaris: A Phase 3, Multicenter, Randomized, Double-Blind, Active and vehicle-controlled study. Journal of drugs in dermatology; 2011;10;1382-1396.

    13. Korting HC and Schollmann C. Topical fluticasone propionate: and maintenance treatment options of atopic dermatitis based on a high therapeutic index. Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology. 2012;26;133-140.

    14. VALTREX (cloridrato de valaciclovir). Bula do remédio.

    15. Scott LJ, Ormrod D, Goa KL. Cefuroxime axetil: An updated review of its use in the management of bacterial infections. Drugs 2001;61(10):1455–1500.

    16. Scholz H. Streptococcal-A tonsillopharyngitis: a 5-day course of cefuroxime axetil versus a 10-day course of penicillin V. results depending on the children’s age. Chemotherapy 2004;50(1):51–54.

    17. Bactroban pomada (mupirocina). Bula do produto.

    18. Gílbert M. et al. Topical 2% mupirocin versus 2% fusidic acid ointment in the treatment of primary and secondory skin infections. J Am Acod Dermatal. 1989;20;1083-7.

    19. Ha KR et al. In Vitro Activity of Mupirocin on Clinical Isolates of Stophylococcus aureus and its Pontential Implications in Chronic Rhinosinusitis. Laryngoscope, 2008;118:535.40.

    20. Albayaty YN et al. Penetration of topicalty used antimicrabials through Staphylococcus aureus biofilms. A comparafive study using different models. J Drug Del Sci & Tech. 2018;48.429-436.

    21. Bactroban Worlwide Marketing Authorization Report. Agosto de 2020.

    22. Perth Children's Hospital: Impetigo. March 2018. Available at: https://pch.health.wa.gov.au/For-health-professionals/Emergency-Department-Guidelines/Impetigo (accessed June 2020).

    23. Perth Children's Hospital: Eczema, May 2020. Available at: https://pch.health.wa.gov.au/For-health-professionals/Emeigency-Department-Guidelines/Eczema (accessed July 2020).

    24. The Royal Children's Hospital Melbourne. Cellulitis and skin intections. Available at: https://www.rch.org.au/clinicalguide/guideline_Index/Cellulitis_and_skin_intection/. (accessed June 2020).

    25. Bermejo A et al. Consenso SADI-SAM-SAD-CACCVE. Guia para el manejo racional de las infecciones de piel y partes Blandas - Parte II Consensus SADI-SAM-SAD-CACCV. Guidelines for the rational management skin ond soft-tissue infections - Part I. Rev Panam infectal. 2009;11:47-62.

    26. Información Farmacoteropéutica. INFAC - Manejo De Lass Infecciones Cutaneas Bacterianas En El Ambito Ambulatorio Management of Bacterial Cutaneous Infections In the Ambulatory Area. INFAC 2018;26:58-64.

    27. Canejo-Fernández Al et al. Documento de consenso SEIP-AEPAP-SEPEAP sobre la etiologia, el diagnostico y el tratamiento de las infecciones cutáneas bacterianas de manejo ambulatorio. An Pediatr (Barc). 2016;84(2):121. el-10.

    28. MedSask Superficial Bacterial Skin Infections - Guidelines for Prescribing Topical Antibiotics for impetigo and folliculitis, May 2017. Available at: https://medsask.usask.ca/superficial-bactenal-skin-infections---guidelines-for-prescribing-topical-antibiotics-for-impetigo-and-folliculittis.php. (accessed June 2020).

    29. Madhya Pradesh Department of Public Health and Family Welfare: Standard Treatment Guidelines. 2016. Available at: https://mpphscl.In/Files/PDF/79e16f1b-ac2d-4fc3-a103-7e322c245875_0_STG-2016.pdf. (accessed June 2020).

    30. Stevens DL et al. Practice Guidelines for the Diagnosis and Management of Skin and Soft Tissue Infections: 2014 Update by the Infectious Diseases Society of America. Clin Infect Dis. 2014;59(2):147-159.

    31. Liu C et al. Clinical practice guidelines by the infectious diseases society at america for the treatment Orient of methicillin-resistant Staphylococcus aureus infections in adults and children: executive summary. Clin Infect Dis. 2011;52:285-292.

    32. National Institute for Health and Care Excellence (NICE). Clinical guideline Impetigo: antimicrobial prescribing, February 2020. Available at: https://twww.nice.org.uk/guidance/ng153. (accessed July 2020).

    33. National Institute for Health and Care Excellence (NICE). CKS Atopic eczema. Janeiro de 2018. Disponível em: http//cks.nice.org.uk/eczema-atopic. (acessed em June 2020).

    34. White DG, et al. Topical antibiotics In the treatment of superficial skin infections in general practice - a comparison of mupirocin with sodium fusidate. J infect. 1989;18:221-9.

    35. VALTREX®. Kairos, 2020. Disponível em: https://br.kairosweb.com/precio/producto-valtrex-8467/. Acesso em: 09 de janeiro de 2020.