Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Epilepsy Society alerta contra a prescrição inapropriada de anti-psicóticos

A Epilepsy Society respondeu a um estudo recente publicado no British Medical Journal, que demonstrou a prescrição inapropriada de medicamentos psicotrópicos para pessoas com dificuldades de aprendizagem, incluindo aquelas com epilepsia.1,2

depressão maior

71% das 9.135 pessoas com dificuldades de aprendizagem que receberam prescrição de anti-psicóticos não tinham histórico de doença mental grave.2

Embora o risco de psicose seja maior nas pessoas com epilepsia, deve-se tomar cuidado para garantir que os anti-psicóticos sejam prescritos somente quando necessário, especialmente por que alguns anti-psicóticos podem reduzir o limiar das convulsões. Assim, deve-se tomar um cuidado particular para evitar a prescrição inapropriada para indivíduos com epilepsia e dificuldades de aprendizagem1.

 

Em indivíduos com dificuldades de aprendizagem que apresentam comportamento desafiador, quase metade (5.562 de 11.915) recebeu prescrição de anti-psicóticos, apesar de apenas 12% ter um histórico de doença mental grave.2

Referências bibliográficas:

     1.        SWANBOROUGH, N. Anti-psychotic drugs and epilepsy. In: EPILEPSY SOCIETY. Disponível em: <https://www.epilepsysociety.org.uk/anti-psychotic-drugs-epilepsy-02-09-2015#.VtXZdPkrK00>. Acesso em: 1 mar. 2016.

     2.        SHEEHAN, R. et al. Mental illness, challenging behaviour, and psychotropic drug prescribing in people with intellectual disability: UK population based cohort study. BMJ, 351:h4326, 2015.