Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Triumeq - Dolutegravir em dose fixa combinada disponível no Brasil
   

HLA - B*57011

Ambos abacavir e dolutegravir são associados com um risco de reações de hipersensibilidade (ver descrição de hipersensibilidade abaixo e Descrição de Reações Adversas Selecionadas, em Reações Adversas) e podem compartilhar algumas características comuns, como febre e/ou rash cutâneo com outros sintomas indicativos de envolvimento multi-órgãos. Clinicamente, não é possível determinar se uma reação de hipersensibilidade ao Triumeq é causada por abacavir ou dolutegravir. Reações de hipersensibilidade têm sido observadas mais comumente com abacavir, sendo alguns representativos de risco à vida e, em alguns casos, fatais.

O risco de ocorrer uma reação de hipersensibilidade ao abacavir é significativamente aumentado em pacientes com teste posivito para o alelo HLA-B*5701. No entanto, reações de hipersensibilidade relacionadas ao abacavir têm sido relatadas em pacientes que não carregaram esse alelo.

   
Deverá ser feito o rastreamento quanto à presença do alelo HLA B*5701 em todos os pacientes vivendo com HIV antes de iniciar o tratamento com abacavir. O rastreamento também é recomendado antes da reintrodução do abacavir em pacientes com situação desconhecida de HLA-B*5701 que anteriormente toleraram o abacavir;
Não é recomendado o uso de Triumeq® em pacientes portadores do alelo HLA-B*5701, ou pacientes que tiveram uma suspeita de reação de hipersensibilidade ao abacavir, independentemente do status do alelo HLA-B*5701;
Todos os pacientes devem ser lembrados de ler a bula presente na embalagem de Triumeq®. Eles devem ser lembrados da importância de retirar o Cartão de Alerta incluído na embalagem e de mantê-lo consigo todo o tempo;
Em qualquer paciente tratado com abacavir, o diagnóstico clínico de suspeita de reação de hipersensibilidade deve permanecer como base da tomada de decisão clínica;
Triumeq® deve ser interrompido imediatamente no caso de suspeita de uma reação adversa, mesmo com ausência do alelo HLA B*5701. A demora na interrupção do tratamento com Triumeq® após o início de uma hipersensibilidade pode resultar em uma reação de ameaça à vida. O quadro clínico e laboratorial, incluindo aminotransferases hepáticas, deve ser monitorado;
A fim de evitar a reintrodução de Triumeq®, os pacientes que apresentaram uma reação de hipersensibilidade devem ser solicitados a devolver os comprimidos restantes de Triumeq® à farmácia;
Triumeq®, ou qualquer outro medicamento contendo abacavir, NUNCA DEVE ser reiniciado depois da interrupção do tratamento por uma suspeita de reação de hipersensibilidade;
A reintrodução de abacavir após uma suspeita de reação de hipersensibilidade pode resultar no reaparecimento imediato dos sintomas dentro de horas e pode incluir hipotensão com ameaça à vida e óbito;
Se uma reação de hipersensibilidade for excluída, o tratamento com Triumeq® pode ser reiniciado. Raramente, pacientes que interromperam a terapia com abacavir por razões diferentes dos sintomas das reações de hipersensibilidade também vivenciaram reações de risco à vida dentro de horas após a reintrodução de abacavir (ver Descrição de Reações Adversas Selecionadas, em Reações Adversas). Se decidido reiniciar Triumeq®, ou qualquer outro produto que contenha abacavir, a reintrodução deverá ocorrer apenas se o paciente puder ter acesso rápido à assistência médica.
   

Descrição Clínica das reações de hipersensibilidade relacionadas ao dolutegravir:

Reações de hipersensibilidade foram relatadas com inibidores da integrase, inclusive dolutegravir, e caracterizadas por erupção cutânea (rash), achados constitucionais e, algumas vezes, disfunção orgânica, incluindo lesão hepática.

Descrição Clínica das reações de hipersensibilidade relacionadas ao abacavir:

As reações de hipersensibilidade ao abacavir foram bem caracterizadas nos estudos clínicos e durante acompanhamento pós-comercialização. Os sintomas normalmente aparecem dentro das primeiras seis semanas de terapia (tempo médio de aparecimento de 11 dias), embora possam ocorrer a qualquer momento durante o tratamento com abacavir.

Quase todas as reações de hipersensibilidade incluem febre e/ou erupção cutânea como parte da síndrome. Outros sinais e sintomas observados como parte das reações de hipersensibilidade do abacavir incluem sintomas respiratórios ou gastrointestinais (ver Descrição de Reações Adversas Selecionadas, em Reações Adversas).

Os sintomas relacionados à reação de hipersensibilidade pioram com a terapia continuada e podem ser fatais. Esses sintomas geralmente se resolvem mediante a descontinuação do abacavir.

  • Referência

    1.    Triumeq (dolutegravir sódico + sulfato de abacavir + lamivudina). Bula do produto

      

  • INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA – TRIUMEQ

    Reações adversas: As reações a seguir foram identificadas com o uso de Triumeq: cefaleia, náusea, diarreia, sonolência, insônia, desconforto abdominal, dispepsia, refluxo gastroesofágico, fadiga, hipersensibilidade, hipertrigliceridemia, hiperglicemia.

    Precauções e Advertências: ABC e DTG são associados ao risco de reações de hipersensibilidade com características como rash, febre e lesão hepática. Deve ser feito o rastreamento quanto à presença do alelo HLA B*5701 antes de iniciar o tratamento com abacavir. Triumeq deve ser interrompido imediatamente no caso de suspeita de uma reação de hipersensibilidade. Deve-se ter cuidado ao administrar em pacientes com fatores de risco para doença hepática. O tratamento deve ser suspenso em casos de achados sugestivos de acidose lática.

    Contraindicações: em combinação com medicamentos que possuem janelas terapêuticas estreitas e que sejam substratos do OCT2, incluindo dofetilida, pilsicainida ou fampridina e em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dolutegravir ou a algum dos excipientes.

    Interações medicamentosas: Triumeq não é recomendado para pacientes em uso de ETR sem reforço de IP; EFV; NVP; TPV/r; rifampicina; carbamazepina; fenitoína; fenobarbital e erva de São João. Um ajuste na dose de metformina deve ser considerado quando no uso de Triumeq. Quando coadministrado com antiácidos contendo cátions polivalentes ou suplementos de cálcio ou ferro, Triumeq deve ser administrado 2 horas antes ou 6 horas depois desses agentes.