Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Triumeq - Dolutegravir em dose fixa combinada disponível no Brasil
   

SWITCH

Descubra com os materiais abaixo sobre a possibilidade do switch da TARV vigente do seu paciente.

   

ANIMATION PILLS - STRIIVING

Video player requires JavaScript enabled. You can download this video here: https://edgesuite.gskstatic.com/HealthSites/Health/Brazil/MP4/Portal_Medico/20180625-HIV-animationpill-striiving.mp4

ANIMATION PILLS - SWITCH

   

PODCAST - ESTUDO NEAT

Highlight IAS - Switch de IP/r para dolutegravir

A mudança de um regime de IP/r para um regime de DTG em pacientes com supressão virológica por mais de 6 meses e com idade maior de 50 anos e/ou maiores de 18 anos com um escore de Framingham acima de 10% foi não inferior, bem tolerado e melhorou o perfil lipídico. Confira os resultados nesse episódio.

Video player requires JavaScript enabled. You can download this video here: http://content.blubrry.com/gskbrasil/CanalHIV-AIDS-2017-EP10.mp3

POR QUE CONSIDERAR A TROCA (SWITCH) DA TARV PARA UM ESQUEMA CONTENDO DOLUTEGRAVIR (DTG)?

   
Eficácia superior* 1-6
Bem tolerado e com poucas interrupções 1-14
   

*Quando comparado à efavirenz/emtricitabina/tenofovir, darunavir/r, atazanavir/r em pacientes virgens de tratamento e a lopinavir/r e raltegravir em pacientes experimentados, virgens de inibidor de integrase.

  

  • Referências:

    1.     WALMSLEY, S. et al. Dolutegravir Plus Abacavir/Lamivudine for the Treatment of HIV-1 Infection in Antiretroviral Therapy Patients: Week 96 and Week 144 Results From the SINGLE Randomized Clinical Trial. J Acquir Immune Defic Syndr, 70(5): 515-9, 2015.

    2.    WALMSLEY, SL. et al. Dolutegravir plus abacavir/lamivudine for the treatment of HIV-1 Infection. N Engl J Med, 369(19):1807-18, 2013.

    3.    MOLINA, J-M. et al. Once-daily dolutegravir versus darunavir plus ritonavir for treatment-naive adults with HIV-1 infection (FLAMINGO): 96 week results from a randomised, open-label, phase 3b study. Lancet HIV, 2(4): e127-36, 2015.

    4.    ORRELL, C. et al. Fixed-dose combination dolutegravir, abacavir, and lamivudine versus ritonavir-boosted atazanavir plus tenofovir disoproxil fumarate and emtricitabine in previously untreated women with HIV-1 infection (ARIA): week 48 results from a randomised, open-label, non-inferiority, phase 3b study. The Lancet, 4(12): e536-e526, 2017.

    5.    ABOUD, M. et al. Superior efficacy of dolutegravir (DTG) plus 2 nucleoside reverse transcriptase inhibitors (NRTIs) compared with lopinavir/ ritonavir (LPV/RTV) plus 2 NRTIs in second-line treatment: interim data from the DAWNINGstudy. In: IAS, 9, 2017, Paris. Conference Reports for NATAP. TUAB0105LB. Disponível em:
    <http://www.natap.org/2017/IAS/IAS_26.htm>. Acesso em: 22 nov. 2018.

    6.    CAHN, P. et al. Dolutegravir versus raltegravir in antiretroviral- experienced, integrase-inhibitor-naive adults with HIV:week 48 results from the randomised, double-blind, non-inferiority SAILING study. Lancet, 382: 700-8, 2013.

    7.    LLIBRE, JM, et al. Genetic barrier to resistance for dolutegravir. AIDS Rev; 17: 59–68; 2015.

    8.    RAFFI, F. et al. Once-daily dolutegravir versus twice-daily raltegravir in antiretroviral-naive adults with HIV-1 infection (SPRING-2 study): 96 week results from a randomised, double-blind, non-inferiority trial. Lancet Infect Dis, 13:927-35, 2013. 

    9.    VIANI, RM. et al. Safety, pharmacokinetics and efficacy of dolutegravir in treatment-experienced HIV-1 infected adolescents: 48-week results from IMPAACT P1093. Pediatr Infect Dis J, 34(11): 1207–1213, 2015.

    10.    TROTTIER, B. et al. Dolutegravir/ abacavir/lamivudine versus current ART in virally suppressed patients (STRIIVING): a 48-week, randomized, non-inferiority, open-label, Phase IIIb study. Antivir Ther, 22(4): 25-305, 2017.

    11.    MASCOLINI, M. Switch to dolutegravir noninferior to continued PI in older group with heart risk. In: IAS, 9, 2017, Paris. Conference Reports for NATAP. Disponível em: <http://www.natap.org/2017/IAS/IAS_82.htm> Acesso em 22 nov. 2018.

    12.    VAVRO, CL. et al. Durable efficacy and limited integrase resistance evolution in subjects receiving dolutegravir after failing prior integrase inhibitor (INI) regimens: week 48 results from VIKING-3. 2014 Disponível em: <http://regist2.virology-education.com/2014/12EU/docs/23_vavro.pdf> Acesso em 22 nov. 2018.

    13.    WALMSLEY, S. et al. Dolutegravir regimen statistically superior to efavirenz/tenofovir/emtricitabine: 96-week results from the SINGLE study (ING114467). In: CROI, 21, 2014, Boston. Abstracts 543. Disponível em: <http://www.croiconference.org/sites/all/abstracts/543.pdf >. Acesso em 22 nov. 2018.

    14.    Triumeq® (dolutegravir sódico + sulfato de abacavir + lamivudina). Bula do produto.

    15.    DESAI, M. et al. Antiretroviral drugs: Critical issues and recente advances. Indian J Pharmacol, 44(3): 288–298, 2012.

  

  • INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA – TRIUMEQ

    Reações adversas: As reações a seguir foram identificadas com o uso de Triumeq: cefaleia, náusea, diarreia, sonolência, insônia, desconforto abdominal, dispepsia, refluxo gastroesofágico, fadiga, hipersensibilidade, hipertrigliceridemia, hiperglicemia.

    Precauções e Advertências: ABC e DTG são associados ao risco de reações de hipersensibilidade com características como rash, febre e lesão hepática. Deve ser feito o rastreamento quanto à presença do alelo HLA B*5701 antes de iniciar o tratamento com abacavir. Triumeq deve ser interrompido imediatamente no caso de suspeita de uma reação de hipersensibilidade. Deve-se ter cuidado ao administrar em pacientes com fatores de risco para doença hepática. O tratamento deve ser suspenso em casos de achados sugestivos de acidose lática.

    Contraindicações: em combinação com medicamentos que possuem janelas terapêuticas estreitas e que sejam substratos do OCT2, incluindo dofetilida, pilsicainida ou fampridina e em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao dolutegravir ou a algum dos excipientes.

    Interações medicamentosas: Triumeq não é recomendado para pacientes em uso de ETR sem reforço de IP; EFV; NVP; TPV/r; rifampicina; carbamazepina; fenitoína; fenobarbital e erva de São João. Um ajuste na dose de metformina deve ser considerado quando no uso de Triumeq. Quando coadministrado com antiácidos contendo cátions polivalentes ou suplementos de cálcio ou ferro, Triumeq deve ser administrado 2 horas antes ou 6 horas depois desses agentes.