Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

Disfunção Sexual & HPB

Novas Evidências

GSKPHA18003_separata_disf_sexual_final_cvs.indd

Introdução

Sintomas do trato urinário inferior (LUTS)  e disfunção sexual são queixas frequentes com homens com idade superior a 40 anos.1,2  Mecanismos patofisiológicos comuns estão envolvidos na gênese de ambas condições. Distintos padrões de disfunção sexual podem ser relatados pelos pacientes, os quais muitas vezes se sobrepõem. 3

Figura. Domínios da função sexual masculina 3

Adaptado a partir da referência 3

Diversos fatores afetam a forma e o percentual de eventos sexuais relatados, incluindo idade 4, saúde atual e comorbidades 5, polimedicação 6, diferença entre percepção médica e do paciente 7, forma como o paciente é orientado desde o início do tratamento. 8

A presente separata traz os resultados do primeiro ensaio clínico randomizado controlado por placebo que avaliou o impacto do tratamento combinado com tansulosina+dutasterida na função sexual de homens com hiplerplasia prostática benigna (HPB). O referido estudo utilizou questionário previamente validado para verificar os distintos domínios da função sexual masculina ao longo de um ano de tratamento medicamentoso e gerou duas publicações, as quais serão descritas abaixo. 9,10 

A prospective randomised placebo-controlled study of the impact of dutasteride/tamsulosin combination therapy on sexual function domains in sexually active men with lower urinary tract symptoms (LUTS) secondary to benign prostatic hyperplasia (BPH).

Roehrborn CG, Manyak MJ, Palacios-Moreno JM, Wilson TH, Roos EPM, Santos JC, Karanastasis D, Plastino J, Giuliano F, Rosen RC.

BJU Int. 2017 Oct 16. doi: 10.1111/bju.14057.

Roehrborn e colaboradores, desenvolveram um estudo prospectivo com o objetivo de investigar o impacto do tratamento combinado com dutasterida e tansulosina na função sexual de homens sexualmente ativos com HPB/LUTS 9.

Trata-se de um ensaio clínico randomizado multicêntrico, duplo-cego, placebo-controlado, que incluiu pacientes na Europa (França, Alemanha, Grécia, Hungária, Holanda, Espanha) e Austrália (51 centros) entre fevereiro de 2013 e abril de 2016. A função sexual foi avaliada ao longo de 1 ano através do questionário validado “Men’s Sexual Health Questionnaire” (MSHQ), com 16 questões (maior escore = melhor função sexual).

O objetivo primário foi avaliar o impacto na função sexual (escore total do questionário validado MSHQ) após 12 meses de tratamento com combinação de dose fixa de dutasterida (0,5 mg) e tansulosina (0,4 mg) versus placebo em homens sexualmente ativos, com escore do IPSS ≥12 pontos.

Neste primeiro artigo, o escore total do questionário MSHQ considerou o resultado da soma de três domínios: 

  • DOMÍNIO DA EREÇÃO

(Questões 1–3; variação: 0–15 pontos)

 

  • DOMÍNIO DA EJACULAÇÃO

(Questões 5–11; variação: 1–35 pontos)

 

  • DOMÍNIO DA SATISFAÇÃO

(Questões 13–18; variação: 6–30 pontos) 

 

Tabela. Desenho do estudo 9

Adaptado a partir da referência 9

Resultados:

Quatrocentos e oitenta e nove pacientes foram inicialmente incluídos no estudo (dutasterida+tansulosina n=243; placebo n=246), sendo que 184 (76%) e 191 (78%) completaram o período de seguimento de um ano no grupo tratamento combinado e no grupo placebo, respectivamente.

Figura. Desfecho primário: Mudança no escore total do MSHQ (linha de base vs 1, 3, 6, 9 e 12 meses) 9

Adaptado a partir da referência 9

A redução média do escore total do MSHQ foi superior no grupo tratamento combinado vs placebo ao longo de 12 meses.

Figura. Desfecho secundário: Mudança no domínio de ejaculação do MSHQ 9

Adaptado a partir da referência 9

A redução média do escore do domínio da ejaculação foi superior no grupo tratamento combinado vs placebo ao longo de 12 meses.

Figura.  Desfecho secundário: Mudança no domínio de ereção do MSHQ 9

Adaptado a partir da referência 9

Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos ao longo de 12 meses.

Figura. Persistência de eventos sexuais adversos aos 12 meses e aos 18 meses 9

Adaptado da referência 9

Evaluation of the impact of dutasteride/tamsulosin combination therapy on libido in sexually active men with lower urinary tract symptoms (LUTS) secondary to benign prostatic hyperplasia (BPH): A post hoc analysis of a prospective randomised placebo-controlled study.

Rosen RC, Roehrborn CG, Manyak MJ, Palacios-Moreno JM, Wilson TH, Lulic Z, Giuliano F.

Int J Clin Pract. 2018 Oct 13:e13282. doi: 10.1111/ijcp.13282

Trata-se de uma análise post hoc do estudo clínico randomizado descrito nas páginas anteriores. A segunda publicação avaliou o impacto do tratamento combinado com dutasterida e tansulosina na libido de homens sexualmente ativos e com HPB, incluindo os escores de ‘atividade sexual’ (questões 19 e 20; variação = 2–10 pontos), ‘desejo sexual’ (questões 22 a 25; variação 3-15 pontos) e ‘incômodo’ (questões 4, 12, 21 e 24; variação 4-20 pontos) do questionário MSHQ.

Resultados:

Os gráficos abaixo apresentam as mudanças médias ajustadas nos subdomínios do MSHQ (atividade sexual e desejo sexual) dos grupos tratamento combinado e placebo ao longo de 12 meses do estudo.

Adaptado a partir da referência 10

Adaptado a partir da referência 10

Adaptado a partir da referência 10

Pontos Chave:

  • Trata-se do primeiro estudo prospectivo que usou questionário validado para avaliação sistemática dos domínios da função sexual em pacientes que receberam tratamento com dutasterida e tansulosina.
  • As mudanças observadas no escore total do MSHQ estiveram predominantemente relacionadas ao domínio ejaculatório e, de modo menos evidente, aos domínios de satisfação e libido (sem diferenças entre grupos no domínio de ereção).
  • Não houve evidência de disfunção erétil persistente após 6 meses de interrupção do tratamento (taxas de DE idênticas entre os grupos).

Responsáveis técnicos:

Dr. Márcio Augusto Averbeck
Mestre e Doutor em Ciências da Saúde pela UFCSPA
GSK Internal Expert

Dr. Paulo Afonso Santos
Médico Urologista
Head of Medical Affairs
MSL Group Manager 

  • Referências:

    1. SOLER R, et al. The prevalence of lower urinary tract symptoms (LUTS) in Brazil: Results from the epidemiology of LUTS (Brazil LUTS) study. Neurourol Urodyn, 1-9, 2017.

    2. KIRBY M, et al. Erectile dysfunction and lower urinary tract symptoms: a consensus on the importance of co-diagnosis. Int J Clin Pract. 67(7):606-18, 2013.

    3. MCCABE MP, et al. Definitions of Sexual Dysfunctions in Women and Men: A Consensus Statement From the Fourth International Consultation on Sexual Medicine 2015. J Sex Med.13(2):135-43, 2016.

    4. ROSEN R, et al. Lower urinary tract symptoms and male sexual dysfunction: the multinational survey of the aging male (MSAM-7). Eur Urol. 2003;44(6):637-49.

    5. MARTIN-MORALES A, et al. Prevalence and independent risk factors for erectile dysfunction in Spain: results of the Epidemiologia de la Disfuncion Erectil Masculina Study. J Urol. 166(2):569-74, 2001.

    6. HACKETT G, et al. Coronary Heart Disease, Diabetes, and Sexuality in Men. J Sex Med. 13(6):887-904, 2013.

    7. FOURCADE RO, et al. Profile and management of patients treated for the first time for lower urinary tract symptoms/benign prostatic hyperplasia in four European countries. BJU Int. 101(9):1111-8 2008.

    8. MONDAINI N, et al. Finasteride 5 mg and sexual side effects: how many of these are related to a nocebo phenomenon? J Sex Med.4(6):1708-12, 2007.

    9. ROEHRBORN CG, et al. A prospective randomised placebo-controlled study of the impact of dutasteride/tamsulosin combination therapy on sexual function domains in sexually active men with lower urinary tract symptoms (LUTS) secondary to benign prostatic hyperplasia (BPH). BJU Int, 121(4): 647-658, 2018.

    10. ROSEN RC, et al. Evaluation of impact of dutasteride/tamsulosin combination therapy on libido in sexually active men with lower urinary tract symptoms (LUTS) secondary to benign prostatic hyperplasia (BPH): A post hoc analysis of a prospective randomised placebo-controlled study. Int J Clin Pract, e13282, 2018.