Você está deixando o Portal Médico GSK

Você está prestes a deixar o site da GSK. Ao clicar neste link, você será direcionado a um site que não pertence ou é controlado pela GSK. Portanto, a GSK não é responsável por demais conteúdos presentes neste site.

Continuar

Voltar

  

Synflorix (VPC10): estabelecendo o impacto total na saúde pública1

“Este estudo de investigação da vacina é o primeiro de seu tipo a avaliar as incidências de doenças preveníveis por vacinação (VPDIs) para uma gama completa de resultados de doenças pneumocócicas usando valores de eficácia da vacina derivados do FinIP” 1

O estudo de vacina FinIP foi um estudo de campo de grupo randomizado de fase III/IV, duplo-cego, em nível nacional, realizado em 2009–2012 pelo Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar (THL) na Finlândia. As crianças também foram inscritas em um estudo paralelo de otite média aguda (OMA) e carreamento. Esses estudos incluíram mais de 47.000 crianças vacinadas, com mais de 30.000 elegíveis para as análises do calendário infantil.1

Embora os resultados de eficácia deste estudo tenham sido relatados anteriormente, esse desenho de investigação de vacina também oferece a oportunidade de avaliar a verdadeira redução na carga da doença devido especificamente à vacinação.

 

A tabela foi criada independentemente pela GSK a partir dos dados originais

 

Uma vacina de eficácia conhecida pode ser usada para avaliar a proporção de uma doença causada pelo patógeno contra a qual a vacina ajuda a proteger. Quando a incidência de uma doença é conhecida, os dados de investigação de vacina adicionam evidências ao potencial impacto na saúde pública para um programa de vacinação. “Os estudos de investigação de vacina são métodos exclusivos para revelar o papel biológico de um patógeno e a importância de uma vacina para a saúde pública”.2

Com base na eficácia observada da vacina nos diferentes desfechos da doença no estudo FinIP, o número de casos prevenidos foi determinado.1

A tabela foi criada independentemente pela GSK a partir dos dados originais

 

Quando essas reduções são aplicadas à incidência absoluta da doença, é possível calcular a incidência de doenças evitáveis pela vacinação (VPDI) e o número necessário para vacinar (NNV) para prevenir cada desfecho clínico.

O número de crianças que precisaram ser vacinadas com VPC10 para prevenir um episódio para os diferentes desfechos durante 24 meses após a administração da primeira dose (esquemas de vacinação 2+1 e 3+1 combinados) foi:

 

A tabela foi criada independentemente pela GSK a partir dos dados originais

 

Portanto, para cada 1.000 bebês vacinados, o número de casos prevenidos com a vacinação VPC10 foi (arredondado para o número inteiro mais próximo):

 

A tabela foi criada independentemente pela GSK a partir dos dados originais

 

DPI: Doença pneumocócica invasiva; OMA: Otite média aguda; OME: Otite média com efusão; FinIP: Instituto Finlandês para Saúde e Bem-estar; IRS: Doenças do trato respitatório superior; NNV: Número necessário para vacinar; VDPI: Incidência de doenças preveníveis por vacinação.

Nota sobre o tratamento antimicrobiano segundo estudo FinIP:

“Compra de antimicrobianos recomendados para a OMA, incluindo amoxicilina sem (código ATC J01CA04) e com ácido clavulânico inibidor da enzima (J01CR02), fenoximetilpenicilina (J01CE02), cefuroxima (J01DC02), cefaclor (J01DC04), sulfadiazina e trimetoprima (J01EE02), claritromicina (J01FA09) e azitromicina (J01FA10)”.1

Mais informações sobre o estudo de investigação de vacina baseado no FinIP (Palmu AA, et al. Vaccine. 2018; 36: 1816-22.) aqui.

  

  • Referências:

    1. Palmu AA, et al. Vaccine. 2018;36:1816-22.

    2.  Feikin DR, et al. Lancet. 2014;383(9930):1762-70.

* Exigindo cirurgia de tubo de timpanostomia.
† Para infecção do trato respiratório superior, principalmente OMA.
‡ Dados com base no número necessário para vacinar (NNV): 671 para DPI; 185 para pneumonia; 44 para OMA grave; 5 para compras de antimicrobianos.
 

 

Material distribuído exclusivamente para profissionais de saúde habilitados a prescrever e dispensar medicamentos. Recomenda-se a leitura da bula e da monografia do produto, antes da prescrição de qualquer medicamento. Mais informações à disposição, sob solicitação ao Departamento de Informações Médicas (DDG 0800 701 2233 ou medinfo@gsk.com). Para notificar informações de segurança, incluindo eventos adversos, ocorridos durante o uso de medicamentos da GlaxoSmithKline/Stiefel, entre em contato diretamente com o Departamento de Farmacovigilância da empresa pelo e-mail farmacovigilancia@gsk.com ou através do representante do grupo de empresas GSK.

Synflorix é uma marca registrada das empresas do Grupo GlaxoSmithKline.